São Paulo, 17 de novembro de 2017

  Blogs | SUCESU-SP faz parceria com ABStartups para divulgação de novos empreendedores.

Publicado por: Fernando Nassif
Categoria: Gestão de Pessoas, Treinamento & Capacitação

No próximo dia 19 de outubro, a SUCESU-SP e a ABStartups – Associação Brasileira de Startups realizarão o 1º PITCH DAY SUCESU-SP com foco no segmento Saúde.

Este projeto faz parte de uma parceria entre as duas entidades e tem como foco divulgar o trabalho de novos empreendedores em vários segmentos de atuação na área de startups. Será dado início pela área da Saúde, mas serão, também, organizados uma série de próximos desfiles, abrangendo outros temas, como Educação, Finanças, Agricultura, Tecnologias Limpas, Indústria, entre outros.  

Para você conhecer um pouco mais sobre as startups, destacamos alguns conceitos e características importantes para esse entendimento.

Startup significa o ato de começar algo, normalmente relacionado a uma empresa que está no início de suas atividades e cujas pessoas envolvidas estão à procura de um modelo de negócio repetível e escalável, trabalhando em condições de extrema incerteza. São empresas jovens que têm como propósito a busca permanente de inovação.

O termo startup começou a ser usado nos EUA há várias décadas. Entretanto, no Brasil, foi popularizado durante o período da “bolha da internet”, ao final dos anos 90. Segundo a ABStartups – Associação Brasileira de Startups, as primeiras empresas a aderir  essa plataforma de negócios, no Brasil, surgiram no início do século XXI e partir de 2010 apresentaram um crescimento vertiginoso.

Frente a esse cenário, criou-se um mito em relação às startups: que são empresas com atuação exclusiva na internet. Isto não é, necessariamente, verdadeiro. Ocorrem com mais frequência na internet, uma vez que se exige menor investimento para a criação de uma empresa de software, bem como o seu processo de expansão é mais rápido do que uma organização de biotecnologia, nanotecnologia ou de alguma outra área. Entretanto, empresas de outros segmentos podem ser consideradas startups, desde que possuam um modelo de negócio repetível e escalável.

Na conceituação de startup aparecem quatro vetores que retratam as suas principais características: modelo de negócio, repetível, escalável e condições de incerteza.

O modelo de negócio traduz como a startup irá ser monetizada e gerar valor, ou seja, como transformará o trabalho em dinheiros. Utilizando o exemplo clássico do Google, uma de suas fontes de recursos é cobrar por clicks em anúncios mostrados nos seus resultados de busca.

O termo repetível é a capacidade da startup de entregar o mesmo produto ou serviço em escala ilimitada, com pouca ou nenhuma customização e adaptação para cada cliente.

Talvez o vetor escalável seja o fator chave de uma startup. Neste estágio começa a crescer de forma sustentável e a atrair novos investimentos. Ao atingir este patamar, deixa de existir e dá lugar a uma organização altamente lucrativa.

Por último e não menos importante, é o ecossistema de atuação e desenvolvimento da startup. Geralmente, elas nascem em um ambiente de extrema incerteza, não existindo segurança e garantia que a ideia ou projeto obterá êxito.

Outra ação relevante para o crescimento das startups, que se conjuga com o vetor escalável, é o fator aceleração. Através de um programa estruturado, dessa natureza, é possível profissionalizar a sua gestão e estruturar/otimizar os seus processos organizacionais e de negócios, aumentando a sua base de clientes e receitas.

O evento acontecerá, em São Paulo, no Auditório da SUCESU-SP, à Rua Prof. Tamandaré de Toledo, 69 – 3º andar, Espaço Kinoplex – Bairro Itaim Bibi.

  Últimos Blogs